sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Ser e Não Ser - José Bonifácio de Andrada e Silva



Se te procuro, fujo de avistar-te,
e, se te quero, evito mais querer-te;
desejo quase. . . quase aborrecer-te,
e, se te fujo, estás em toda parte.
.
Distante, corro logo a procurar-te,
e perco a voz e fico mudo, ao ver-te;
se me lembro de ti, tento esquecer-te,
e, se te esqueço, cuido mais amar-te.
.
O pensamento assim partido ao meio,
e o coração assim também partido,
chamo-te e fujo, quero-te e receio!
.
Morto por ti, eu vivo dividido;
entre o meu e o teu ser sinto-me alheio,
e, sem saber de mim, vivo perdido!
.

4 comentários:

Sonia Regly disse...

Renata,
Esse Blog é show de bola!!!! Gosto de vir aqui.Beijos.

Fernando Caldas disse...

Querida,

cheguei ao seu blog ao acaso, pesquisando Vicente Celestino. É sempre bom saber que a Luz continua ajuntando as almas.

Fernando Caldas

Emerson Fernandes disse...

Gostei muito do seu blog,encontrei ele ao acaso,procurando ser ou não ser do jose bonifacio,se poder ver meu blog,todas as poesias são de minha autoria!!!http://emersonfernandespoesia.blogspot.com/

Julio Cesar Ferreira De Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.