sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Os Três Amores - Castro Alves



I
.
Minh’alma é como a fronte sonhadora
Do louco bardo, que Ferrara chora...
Sou Tasso!... a primavera de teus risos
De minha vida as solidões enflora...
Longe de ti eu bebo os teus perfumes,
Sigo na terra de teu passo os lumes...
— Tu és Eleonora...
.
II
.
Meu coração desmaia pensativo,
Cismando em tua rosa predileta.
Sou teu pálido amante vaporoso,
Sou teu Romeu... teu lânguido poeta!...
Sonho-te às vezes virgem... seminua...
Roubo-te um casto beijo à luz da lua...
— E tu és Julieta...
.
III
.
Na volúpia das noites andaluzas
O sangue ardente em minhas veias rola...
Sou D. Juan!... Donzelas amorosas,
Vós conheceis-me os trenos na viola!
Sobre o leito do amor teu seio brilha...
Eu morro, se desfaço-te a mantilha...
Tu és — Júlia, a Espanhola!...
.

3 comentários:

Daniel Rodrigues disse...

Passei para prestigiar seu belo blog! Beijos moça bonita!

Anônimo disse...

Quero ser como ele...

PS Tentação disse...

Eu Fiz uma apresentação em um projeto que se chama Cafeteria Sabor Literario que foi campeão do prêmio Vivaleitura 2010 na categoria escolas Publicas e Privadas. Onde eu recitei o 3º poema. no caso eu interpreti o D.Juan.