quarta-feira, 18 de junho de 2008

Memória - Carlos Drummond de Andrade


Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.
Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.
.

2 comentários:

Daniel Rodrigues disse...

Fabuloso! Beijo para você moça bonita!

Manuel Marques disse...

Mesmo que o amor seja platónico, fica sempre a memória de algo belo, porque se nao foi belo e nao revolveu as entranhas nao foi amor!