quinta-feira, 19 de junho de 2008

Argila - Raul de Leoni


Nascemos um para o outro, dessa argila
De que são feitas as criaturas raras;
Tens legendas pagãs nas carnes claras
E eu tenho a alma dos faunos na pupila...
.
Às belezas heróicas te comparas
E em mim a luz olímpica cintila,
Gritam em nós todas as nobres taras
Daquela Grécia esplêndida e tranquila...
.
É tanta a glória que nos encaminha
Em nosso amor de seleção, profundo,
Que (ouço ao longe o oráculo de Elêusis)
.
Se um dia eu fosse teu e fosses minha,
O nosso amor conceberia um mundo
E do teu ventre nasceriam deuses...
.

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito belo! Beijo para você moça bonita!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Mas, que coisa! Eu não tinha visto o Raul de Leoni quando te comentei apressadamente.Esse Poema dele me acompanha desde a adolescência, que maravilha! Amiga, esse "resgate" Poético que fazes é de suma importância, por isso, te parabenizo duplamente:pela sensibilidade e pela escolha dos textos.Carinho enorme!!!
Obs: Gostaria de te lembrar também de Augusto Frederico Schimith.

Manuel Marques disse...

Sabe bem esta grandeza de espírito! E o amor quando verdadeiro bebe sempre do néctar dos Deuses! Belíssimo!!! Beijinhos!