quarta-feira, 23 de abril de 2008

O Amor - Matthias Claudius


O Amor, nada o detém:
Não tem porta nem trinco,
Tudo ele vence e vaza.
Sem princípio, bateu
E eternamente bate
Suas eternas asas.
.
Trad. Geir Campos
.

Um comentário:

Daniel Rodrigues disse...

Bom dia moça linda!Bonito poema, beijo para você.