quinta-feira, 8 de maio de 2008

Duas Almas - Alceu Wamosy


Ó tu que vens de longe, ó tu que vens cansada,
entra, e sob este teto encontrarás carinho:
Eu nunca fui amado, e vivo tão sozinho.
Vives sozinha sempre e nunca foste amada...
.
A neve anda a branquear lividamente a estrada,
e a minha alcova tem a tepidez de um ninho.
Entra, ao menos até que as curvas do caminho
se banhem no esplendor nascente da alvorada.
.
E amanhã quando a luz do sol dourar radiosa
essa estrada sem fim, deserta, horrenda e nua,
podes partir de novo, ó nômade formosa!
.
Já não serei tão só, nem irás tão sozinha:
Há de ficar comigo uma saudade tua...
Hás de levar contigo uma saudade minha...
.

11 comentários:

Daniel Rodrigues disse...

A imagem está perfeita! Beijo pra você moça bonita!

Mayara disse...

PERFEITO autor favorito.

Tasso disse...

"Duas Almas" é seguramente um dos mais belos poemas que conheci. Parabéns pelo seu bom gosto e pela iniciativa de montar um lugarzinho tão simpático e cheio de ternura para nós. Tasso de Castro Lugon - Juiz de Direito. Se quiser saber mais sobre mim, pesquise no google. Abs...

Anônimo disse...

Este poema sempre fez parte de minha vida, fico feliz por encontralo em um canto tão aconchegante.
Como Mayara disse:
-perfeito.

Anônimo disse...

Ao ler outra vez esta poesia, envolveu-me os eflúveos da juventude. Fico feliz em saber que nestes tempos de ferro e aço, muitos pensam versos e fazem chover chuva de belezas e esperanças. Parabens a todos que compartilham o gosto pelas poesias. Irmãos anônimos. Irmãos de alma.

emircesar baiocchi disse...

Emircesar Baiocchi
cifrha@terra.com.br

escreveu acima.

melissa disse...

É o que sempre estamos buscando mas raramente conseguimos encontrar.

ricardo disse...

Obrigado por postar o belíssimo poema "Duas Almas" de Alceu Wamosy, sou fã e conterrâneo dele, precisando de alguma informação relativa, terei maior prazer em ajudar. Fraterno Abraço...

Ivone disse...

Este poema me foi dito por um rapaz a quem muito amei, no dia em que nos conhecemos.
Já tem muitos anos que não o vejo mas o poema nunca mais saiu do meu coração.
Nunca mais tive notícias dele, nos separamos sem dizer adeus.

Paulo Cabral disse...

Paulo Cabral contribui.
Conta a história que Alceu Wamosy faleceu muito moço após longa convalescência em um Hospital depois de ter sido ferido em uma batalha e antes de morrer teria ceado ainda no leito com a sua grande amada, Duas Almas ;e um dos mais belos poemas da língua portuguesa e para nosso orgulho um poeta Gaúcho.

Onofre Ferreira do Prado disse...

Este soneto - Duas almas, ficou no centro do alvo - repleto de um lirismo enternecedor...