terça-feira, 6 de abril de 2010

Amar - Carlos Drummond de Andrade

.
Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados amar?
.
Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?
.
Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave
de rapina.Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.
.
Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.
.

13 comentários:

Poemas do Jorge Jacinto disse...

Bom dia!... Muito bom este texto! Adorei! Abraços, Jorge Jacinto.

Efigênia Coutinho disse...

Renata Christina

Que esoaço poético aconchegante,
pois aqui ler o grande
Carlos Drummond de Andrade
é ter bom gosto,
meus cumprimentos a você,
Efigênia Coutinho
in New York

Pedra do Sertão disse...

Esse nosso Carlos Drummond era muito bom mesmo, não é? Abraço

Maurélio disse...

Amar sempre como nos diz em seus versos o eterno poeta.
Renata que saudades amiga.
Um beijo terno

Waltin Sousa disse...

afff, uai!!
q direi, eu?!
amar, amor, matar, é morrer para sí!
e reviver no outro?
ou seria reçucitar-se a sí mesmo, num outro alguém!?

me enfado eu, neste perfido pensamento, me ponho a pensar dia, após dia!
e nada! absolutamente nada concluo!

amor! amar! amar! amor!

gostaria eu, d desfrutar!
desfrutar-me-ia deste doce pecado!
padecer-me-ei, deste mau?
perdão gata!
por tamanho blá blá blá!!
bjos

Anônimo disse...

era exatamente isso q eu estava procurando para o colegio! muito obrigado

Controvento-desinventora disse...

Adorei seu espaço e a estrela de Drummond a brilhar em meu poema predileto...Parabéns!

Jéssica disse...

Olá, adorei o blog !


Visite:
http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/
Beijoos ♥

O que Cintila em Mim disse...

O amor é uma faca de dois gumes, um é amar demais e o outro amar ainda mais.

VIAJANDO E PULANDO disse...

adorei muito lindo seu site

Sam. disse...

Ah Renata, estava procurando uma imagem pra um post que temos em comum de Guimarães Rosa e acabei achando seu blog...me encantei!!!

quanta coisa bonita tem por aqui...
que seleção maravilhosa de escritores e poetas!!

Parabéns pelo com gosto!
Já sigo e virei fã!

Grande beijo!

Ely Barbosa disse...

Não sei se é possível que você ainda receba essa mensagem, aparentemente você abandonou esse blog a muito tempo, mas enfim.

Sou amigo da Ritinha, a "Rita Apoena", mas rompi contato com ela uns anos atrás.

Ontem, relendo algumas cartas dela, lembrei que ela mencionou que também se correspondia com uma moça do Paraná. Estava procurando pela Rita na internet e trombei com um de seus blogs e, sendo você de Curitiba e também escritora, imaginei se não seria você a tal moça.

Minha última carta a Rita voltou, em 2010, você ainda mantém contato com ela?

Quando parei de conversar com ela foi por bobagens, orgulho principalmente.

Você tem alguma pista de como encontra-la? Ficaria muito grato por isso.

Beijo.


Ely Barbosa
facebook.com/ely.barbosa1

Lucila Santos disse...

Linda postagem!!!! Lindo blog. Quando puder visite o meu:

lucilasantoss.blogspot.com.br

Abraços!